-

A Empresa Dentro do Carro

Enquanto a torcida brasileira (todos nós!) vive a expectativa do rumo que nossa seleção vai tomar com a troca de técnico, no mundo dos negócios muitos empreendedores – acertadamente – preparam-se para faturar com a Copa do Mundo. Para uma categoria em especial, o aumento significativo de trabalho é certo com o evento. Estou falando dos taxistas.

Conhecer a cidade é básico. Mas para se diferenciar, é preciso oferecer mais. Em ocasiões que atraem muita gente de fora, os taxistas assumem papel mais importante ainda. São verdadeiros guias turísticos, dão dicas de gastronomia, comportamento, segurança, entre tantas mais. Em uma corrida, eles praticamente apresentam a cidade.

Esses profissionais não apenas dirigem um carro, mas uma empresa e devem administrar seu trabalho com essa mentalidade. É preciso ter planejamento, controlar atentamente receitas e despesas e aprimorar o atendimento.

Em São Paulo, por exemplo, cidade que tem um público consumidor enorme, uma agenda repleta de eventos o ano inteiro e concorrência acirrada, capacitar-se para oferecer um serviço de qualidade traz resultados independentemente da Copa.

O motorista que quiser se aperfeiçoar tem à disposição dois programas gratuitos do Sebrae: o Taxista Nota 10 e o Taxista Empreendedor. No primeiro, o profissional aprende inglês, espanhol e gestão de negócios. Tudo adaptado ao universo do taxista. O participante recebe um kit com caderno e livro de exercícios e CD com diálogos. Está disponível nas 12 capitais onde haverá jogos da Copa. Inscrições pelo telefone 0800 728 2891.

O curso Taxista Empreendedor também conta com kit com DVD, CD e manual impresso. São abordados assuntos como o táxi como negócio, atender bem, como fidelizar o cliente, como fazer a diferença, relações humanas, gestão, entre outros. O curso dura dois meses. O conteúdo também está disponível no site www.taxistaempreendedor.com.br.

Dirigir um táxi requer muito mais que perícia no volante. É preciso qualificação e visão empreendedora. Quem quiser se destacar deve se preparar.  E o Sebrae é parceiro desse profissional que tem a oportunidade de transformar a sua atividade numa “empresa sobre rodas”.