-

Um ano no azul

Final de ano é assim mesmo. Tempo de fazer balanços e de projetar o futuro. E, como empreendedor não tem vida fácil, fim de ano também é tempo de muito trabalho.

O ano de 2012 para as micro e pequenas empresas (MPEs) termina no azul. Podemos dizer, sem medo de errar, que o saldo foi positivo e que os pequenos negócios de maneira geral tiveram um ano bom.

Em meio a um cenário de crise internacional e economia brasileira patinando, os negócios paulistas de pequeno porte tiveram desempenho digno de elogios. Enquanto o Produto Interno Bruto (PIB) cresceu 0,7% de janeiro a setembro deste ano ante o mesmo período de 2011, o faturamento das MPEs do Estado aumentou 7,9%. Ou seja, ritmo de crescimento dez vezes maior que a média nacional. O Sebrae-SP projeta que elas fechem 2012 com crescimento entre 8% e 8,5% no faturamento, bem acima da previsão para o PIB de 1,03%.

Mas nem tudo foi motivo de comemoração para o pequeno empresário. Em 2012 o Brasil permaneceu no último lugar do ranking que mede a dificuldade de relacionamento do pequeno empresário com o poder público. Nos 49 países pesquisados, o Brasil apresenta os piores indicadores de burocracia e carga tributária, fato que limita a competitividade das nossas empresas e causa muitos prejuízos especialmente à pequena indústria que sofre com a concorrência de produtos importados. Enquanto a esperada reforma tributária não avança no Congresso Nacional, a adoção de medidas simples, como a atualização anual das faixas de enquadramento do Simples Nacional, poderiam aliviar a situação da MPE.

Para 2013, a expectativa é de dias melhores com a provável recuperação da economia mundial. Enquanto a Copa das Confederações e a aproximação da Copa do Mundo trazem oportunidades, o Sebrae-SP continuará trabalhando por um ambiente mais propício aos pequenos negócios, além de apresentar novidades para fomentar o empreendedorismo. Aguarde que teremos boas notícias em 2013.